Facebook Blog - Fiquemforma

Exercício físico nas crianças

A actividade física tem um efeito positivo sobre a saúde e é um componente essencial na prevenção e tratamento do excesso de peso e da obesidade. A actividade física pode ajudar a reduzir a pressão arterial e o colesterol, a diminuir a percentagem de gordura e ajudar a manter o peso corporal. A actividade física é importante para o crescimento e desenvolvimento do sistema cardiovascular, aumentando a densidade óssea, e melhora a saúde muscular. Tal como os adultos, as crianças devem ser fisicamente activas na maioria dos dias da semana. Sessenta minutos de actividade física moderada por dia para as crianças é o que recomenda, o Departamento Americano de Saúde e Serviços Humanos.

Benefícios do exercício físico nas crianças

As crianças que praticam exercício físico têm uma maior tendência para serem activas fisicamente ao longo da vida.
O exercício em idades jovens permite manter um peso adequado e chegar à vida adulta.
Permite manter uma boa saúde óssea e articular.
Do ponto de vista do desenvolvimento social é altamente vantajoso praticar actividades físicas com outras crianças.
Desenvolvimento afectivo com outras crianças, em muitos casos é a partir destas actividades que surgem amizades que ficam para a vida toda.
O exercício físico infanto-juvenil deve ser fomentado e deve haver espaço para que as crianças possam simplesmente brincar, inventar jogos, repetir as brincadeiras que fazem parte da cultura onde estão inseridas, mas também deve haver espaço para a aprendizagem sistematizada de modalidades com regras, disciplina e quadros competitivos. Ambas as dimensões devem coexistir. Nestes dois contextos dão-se os processos de desenvolvimentos social, motor, fisiológico, psicológico que são fundamentais para ter uma vida adulta saudável e harmoniosa.

Espaço de prática

Hoje a grande limitação que as crianças têm é precisamente o espaço de prática. No interior do país a situação é não tão problemática quanto nos meios urbanos, ainda assim a brincadeira na rua tem vindo a diminuir bastante também em meios mais rurais. Hoje o convívio na rua é substituído pelo uso de tecnologias diversas em casa, normalmente isoladamente. É necessário encontrar formas seguras de convivência nas comunidades onde se está inserido, seja informalmente, seja formalmente nos clubes e associações recreativas. É fundamental que se consigam encontrar caminhos alternativos ao crescer sozinho, visto que uma criança que chega à idade adulta com problemas de composição corporal e dificuldades de socialização vai ser sem dúvida uma pessoa muito menos autónoma.