Facebook Blog - Fiquemforma

Actividade física ou sedentarismo?

Os benefícios do treino não são meramente físicos. Existe uma ideia de bem-estar associada ao treino e de facto, assim é. O treino quando é realizado com intensidade cria uma sensação de relaxamento no pós-treino, na verdade essa sensação ocorre porque produzimos substâncias naturais como as endorfinas e a serotonina que nos vão dar prazer.


Endorfinas

Esta substância é produzida naturalmente pelo nosso corpo e é como que um narcótico natural que nos dá prazer.

Serotonina

A Organização Mundial da Saúde (OMS) considera que o exercício físico influencia directamente a produção de serotonina. Este facto tem em si uma importância colossal particularmente para as pessoas que sofrem ou sofreram de depressão. O treino é um meio natural e seguro de voltar a sentir alegria. Quando conjugamos exercício e psicoterapia podemos obter um efeito notável no tratamento da depressão. Estima-se que a depressão atinja cerca de 300 milhões de pessoas em todo o mundo. Dentro do treino, aquilo que a neurociência nos diz é que as actividades aérobias como a corrida e o ciclismo são as actividades em que produzimos mais serotonina.

Actividade física nos nossos Antepassados

Efectivamente a espécie humana evoluiu tendo sempre muita actividade. Toda e qualquer refeição pressupunha gasto calórico. Hoje vamos ao supermercado trocar dinheiro por alimentos. Quando precisávamos de perseguir animais, fugir das intempéries, migrar, tínhamos um dispêndio calórico incomparavelmente superior ao homem moderno. A questão que se coloca é que as pessoas que abdicaram da actividade física foram adoecendo lentamente. Hoje é sabido que quem é sedentário tem muito mais probabilidades de ficar doente do que uma pessoa treinada.

Consequências da inactividade física

Os números são assustadores e a OMS aponta para uma subida na ordem de 70% nos próximos 20 anos dos casos de cancro. As causas enumeradas que sustentam esta brutal subida são o consumo de álcool, açúcar e a naturalmente a obesidade. A obesidade na verdade é a síntese dos hábitos e do estilo de vida, esta é uma premissa irrefutável, sendo salvaguardada apenas numa percentagem mínima da população que tem problemas de tiróide.A Agência Internacional para a Pesquisa em Cancro, prevê que, em cada ano, mais 25 milhões venham a contrair cancro. Este organismo da OMS defende que cerca de metade destes futuros casos nunca chegariam a existir se as pessoas tivessem um estilo de vida activo em termos de exercício físico e travassem o consumo excessivo de açúcar, a comida processada e o crescente consumo tabágico.

Fontes
Organização mundial de saúde
Margaret Chan, directora da OMS.